Como transformar o LinkedIn no meu melhor currículo?

Linkedin-currículo

Siga as dicas da consultora e treinadora Flávia Gamonar, que já preparou mais de sete mil profissionais, amplie seu networking e torne seu LinkedIn mais atraente.

 

Se você procura uma nova oportunidade de trabalho ou entende a importância de manter-se conectado a outros profissionais por meio de uma rede social corporativa, o LinkedIn é a plataforma adequada para essa finalidade.

Dinâmica, ela permite interação entre os usuários, assim como o Facebook, e ajuda a atrair boas oportunidades. Porém, nem todos sabem como se comportar e alimentar essa rede social.

Para ajudar você com isso, neste artigo, a consultora e treinadora Flávia Gamonar vai dar dicas para transformar o LinkedIn no seu melhor currículo.

Flávia já preparou mais de 7 mil profissionais e ministrou mais de 200 palestras ao longo de vinte anos de carreira. Também é autora e instrutora oficial do LinkedIn Learning (Áustria) e LinkedIn Top Voices, e foi escolhida como uma das brasileiras que mais se destacou produzindo conteúdo para a rede. É mestra em mídia e tecnologia, professora de pós-graduação na ESPM e autora de livros como o Unique Stories: como criar conteúdo no Linkedin pode fortalecer sua marca pessoal, atrair oportunidades e destacar o que torna você único. É dela o perfil feminino mais seguido no LinkedIn Brasil, com mais de 1 milhão de seguidores. Além disso, foi ganhadora do prêmio Digitalks em content marketing em 2017 e 2018 e apresentou um quadro na Record News sobre carreira.

 

COMO O LINKEDIN FUNCIONA?

 Seu perfil no LinkedIn é sua marca profissional. Portanto, você deve administrá-lo de maneira estratégica. Nele, você pode inserir informações acadêmicas e profissionais, resumir sua carreira e postar o link de sua página, seja ela um site, um portfólio ou um blog pessoal.

A ferramenta possibilita prospectar clientes, construir uma imagem confiável e cultivar relacionamentos, conectando-se com pessoas relevantes do ponto de vista profissional. Por meio desse perfil, você poderá construir uma relação com pessoas de diferentes lugares do mundo e também com empresas nas quais deseja trabalhar.

É preciso ter em mente que muitas companhias têm como praxe visitar o perfil do candidato no LinkedIn durante o processo seletivo. Sendo assim, não adianta ter todos os pré-requisitos e não contar com a visibilidade que a rede proporciona: a vaga será de outro.

Por isso, utilize a plataforma para ser percebido e reconhecido dentro do mundo corporativo.

Mas, cuidado: existem alguns erros que você não pode cometer quando se trata de LinkedIn. Veja alguns deles a seguir:

  • Divulgar um perfil incompleto;
  • Utilizar uma foto inapropriada;
  • Abordar assuntos e interesses pessoais;
  • Apresentar informações vagas ou sem coerência com o que há no currículo offline;
  • Não compartilhar conteúdos referentes à sua área de atuação.

E, por fim: mesmo que esteja desempregado, não pareça desesperado. Não é esse o perfil que os contratantes procuram. Eles estão mais interessados no que você poderá fazer quando a vaga for sua.

Por esse motivo, é aconselhável reforçar suas conquistas para demonstrar seu potencial, mas sem enaltecer o próprio sucesso de maneira excessiva, pois existe o risco de perder a credibilidade.

 

CONFIRA NOVE DICAS DE FLÁVIA GAMONAR PARA ADMINISTRAR SEU PERFIL DO LINKEDIN

 

  1. Tenha um perfil com título profissional bem claro: dessa maneira, as pessoas irão entender o que você faz, o seu momento, independente do seu cargo atual;
  2. Tenha uma foto profissional adequada ao contexto: “você deve parecer com você mesmo na imagem”, explica Flávia;
  3. Configure seus interesses de carreira: dessa forma, recrutadores entenderão o seu momento e a sua procura;
  4. Para completar o perfil, escreva um resumo completo e interessante: “contextualize sua trajetória e os pontos mais relevantes dela”, aconselha Gamonar;
  5. Interaja na rede, sendo útil e relevante: aposte no compartilhamento de conteúdo de sua área, incluindo sua visão pessoal;
  6. Conecte-se com pessoas e se mostre acessível: mas, levando em conta que há um limite de 30 mil conexões, não saia enviando convites aleatórios;
  7. Produza conteúdo com dicas, conselhos e material mais aprofundado sobre sua área: “É uma forma de relembrar quem você é e fortalecer sua marca pessoal”, indica a consultora;
  8. Revise tudo que pode ser incluído em seu perfil: “Inclua suas competências mais relevantes”, acrescenta.
  9. Deixe a foto do perfil no modo de visibilidade pública: assim você poderá ser encontrado por todos os usuários do LinkedIn e, consequentemente, terá mais chances de conseguir uma boa colocação no mercado de trabalho com o suporte dessa ferramenta.

Além das preciosas dicas de Flávia Gamonar, o sócio-diretor da Blumen Consultoria, Daniel Blumen, também destaca alguns pontos:

  • Caso tenha nível avançado ou fluente em outro idioma, faça o seu perfil também neste idioma, além do português.
  • Para ambos os idiomas, atente-se para evitar erros de toda forma. Lembre-se que você está construindo sua imagem profissional. Aliás, erros de português são inaceitáveis em qualquer comunicação que acontecer durante o processo seletivo.

Daniel reitera a ideia de que, hoje em dia, o LinkedIn também é parte do processo seletivo. Segundo dados do site jobvite, 97% das empresas usam algum tipo de rede social para pesquisar candidatos durante processos seletivos. “Por isso, evite polêmicas nas redes sociais, incluindo o LinkedIn. Processos seletivos vão muito além de currículo e entrevista. Os recrutadores estão olhando e analisando tudo, então, muita atenção aos detalhes”, alerta Daniel.

 

Se você leu este artigo até aqui, já sabe como o LinkedIn pode se tornar o seu melhor currículo, ajudá-lo a se destacar no mercado e a conquistar aquela colocação que você tanto deseja. Agora basta criar seu perfil ou, caso já tenha, inserir todas as informações necessárias para agradar recrutadores e alcançar seus objetivos profissionais.

 

VEJA TAMBÉM EM NOSSO BLOG:

Como se sair bem numa entrevista de emprego em inglês?

Outplacement: o que é e como sua empresa pode se beneficiar

Assessment: o que é e em que momentos pode ser útil

SSI: o segredo para aumentar a força do seu perfil no Linkedin

Open chat